controvérsias

"A cada mil lágrimas sai um milagre”

Alice Ruiz

domingo, 15 de fevereiro de 2009

Lilás, a sobrevivente, precisa de uma nova casa

Há algum tempo atrás contei aqui a história de 7 cachorrinhos recém nascidos e abandonados perto de meu jardim. É. Sobreviveu uma. A pequena Lilás, também conhecida como Pitchulinha, respondeu ao nosso anseio e vingou. Vou contar pra vocês que foi muito triste ver os cachorrinhos morrendo um a um. Nossa... A historinha deles vocês podem ver no post Os bacuris da árvore. Quando os encontramos há 5 semanas, todos pretinhos, era difícil ver a diferença e saber quem já mamou e quem ainda não. Com exceção do Dif (erente). Assim, Helen e Prakash colocaram fitinhas coloridas em cada um. Por isso nossa menina se chama Lilás. Resistiu bravamente à doença que matou os outros, à bicheira que já veio junto no buraquinho do umbiguinho e a quantidade excessiva de vermes que provocavam convulsões, cólicas, tremedeiras e babas. Ela é uma sobrevivente. A sobrevivente. Ainda penso o que é essa coisa que faz com que os bichinhos, sem noção de nada ainda, tenham tanta vontade de viver. "É o instinto", respondem todos sempre que menciono essa admiração, esse mistério, esse impulso vital que vem sei lá eu da onde. O nome disso não me explica nada. Só sei que razão de viver a gente até escolhe, identifica, pensa, repensa... mas na hora que o perigo chega de verdade, nem penso em nada, faço de um tudo pra continuar viva. Passa longe da minha cabeça "pensante" o sentido da vida. Mas chega de tergiversações. A hora tá chegando. Lilás precisa de uma nova casa e de alguém que queira criá-la com toda a atenção, porque, como diz a Helen, ela vai ser muito apegada aos seres humanos. Afinal de contas, tem duas "mães" mulheres. . .

video